É sobre ele, mas é sobre mim também

Não sei se você já passou por isso, mas quando estou com Betinho fico sempre querendo saber se ele está se divertindo, ou se está de saco cheio e tudo mais… Só que muitas vezes, acho que esse pensamento tem mais a ver com como eu me sinto do que propriamente com ele. O post de hoje não tem a ver com nenhum estudo, apenas com uma sensação que tenho todos os dias :). Falo isso, porque tenho tentado misturar meus instintos com o que a ciência diz.

Eu nunca gostei de ficar em casa e isso tem se refletido no meu estilo quando estou cuidando da pessoinha. A nossa casa não é tão grande, basicamente temos a sala para brincar e os quartos para explorar. A parte legal é que para um bebê pouca coisa é bem suficiente. Cada pedacinho novo é uma descoberta e ele realmente se diverte com isso. Em outro post já falei sobre brincadeiras.

Só para dar alguns exemplos, nos últimos tempos ele aprendeu a subir e a descer do sofá, abrir e fechar o forno elétrico, ficar puxando as gavetas e todo o resto que as crianças gostam de fazer. Não vou nem mencionar enfiar os dedos nas tomadas, abrir a tampa do lixo e tentar puxar as canecas do armário :).

Está mais que claro que Betinho tem muita coisa para fazer dentro de casa, só que aí entra uma outra variável muito importante nisso tudo, a pessoa que está cuidando. Durante uma parte do dia essa pessoa sou eu e, para tudo ficar certo e aproveitarmos um tempo legal juntos, eu também preciso achar divertido.

Para juntar nossos gostos, eu sempre tento levar ele em parques, principalmente o da aclimação que é perto da nossa casa. No parque eu sinto que nosso tempo passa de uma forma muito mais interessante, justamente porque eu gosto de sair e também porque gosto de ver ele bem livre. Além disso tenho levado ele no playground do nosso prédio, piscina etc. Apareceu uma chance de sair, eu tento aproveitar.

Pensei sobre isso e realmente acho que esse é um ponto importante. Você vai passar muito tempo cuidando do seu pimpolho e se abdicar de tudo que você gosta, alguma hora o preço vai ser cobrado. Tenho tentado sempre buscar o equilíbrio, porque ele precisa de toda atenção do mundo e eu preciso estar super bem para me dedicar 110%.

O texto de hoje foi mais reflexivo, espero que você tenha gostado. Já passou por algo parecido? Conta aqui para mim :).

Anúncios

Autor: Alberto Souza

Desenvolvedor e Instrutor pela Caelum.

Uma consideração sobre “É sobre ele, mas é sobre mim também”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s