Como você lida com a evolução do seu filho?

Como eu já contei para vocês aqui no blog, logo após saber que Larissa estava grávida, eu corri para tentar ler sobre bebês. O primeiro livro que li foi um que chama Brain Rules. A maioria de nós deseja que o filho seja super inteligente e esse livro fala justamente sobre isso. Será que teste de QI indica alguma coisa? Ou apenas indica que determinada criança é boa em resolver provas de QI? Comer bastante salmão, ajuda o cérebro a se desenvolver melhor? Conversar com a criança enquanto ela está na barriga, coisa de maluco ou faz algum sentido?

Como vocês já viram, ele traz vários tópicos que, para mim, foram bem pertinentes. Um deles, talvez o que eu achei mais relevante do livro inteiro, foi como tratar os erros e acertos do seu bebê(futuro adulto) em relação a todas as tarefas que ele(a) tentará durante o percurso da sua vida. Devem existir vários modos, mas o livro trata de dois especificamente, conhecidos como Fixed Mindset(Mentalidade Fixa) e Growth Mindset(carece de uma definição em português), abaixo segue a definição para cada um dos modelos.

Fixed Mindset: No modelo de mentalidade fixa, as pessoas acreditam que as qualidades básicas delas, como inteligência e talento, são características fixas. Elas passam tempo “dizendo” o quanto são inteligentes e talentosas para algo, em vez de tentar melhorar essas habilidades. Elas também acreditam que o talento sozinho pode trazer sucesso, sem a devida quantidade de esforço. Também usam bastante aquela frase: não nasci para isso.

Growth Mindset: No modelo de growth mindset, as pessoas acreditam que as suas habilidades básicas podem ser desenvolvidas através de dedicação e trabalho duro—inteligência e talento(se existir) são apenas os pontos de partida. Essa visão cria amor por aprender e resiliência, o que é essencial para grandes conquistas.

As definições foram tiradas daqui. Baseado no que eu já li, essas definições fizeram sentido. Daqui para baixo, estarei falando apenas do growth mindset, que é como (venho criando meu filho)eu acredito que meu filho deva ser criado.

A primeira questão é: como você vai reagir para cada avanço do seu filho? Quando ele rolar a primeira vez, você vai dizer que ele fez isso porque ele é o pequenino hulk e já consegue virar o corpo ou você vai engrandecer o esforço que ele fez até chegar a este ponto? Acredite, para ele rolar, ele se esforçou muuuuuuuuito. Dando um salto no tempo, e quando a pequena criatura começar a andar? Andar é tipo o maior sonho da vida dele e ele vem se esforçando desde que nasceu para isso! Será que foi só porque ele é danado e forte?

Pensando no growth mindset, aí já está a primeira questão. Eles indicam que você valorize o esforço, a jornada, e claro, o resultado. Só que isso é apenas uma parte! Durante o processo nossos filhos erram bastante, eles caem, batem a cabeça, não conseguem rolar, demoram de falar, falam errado e tudo mais. Como você reage aos erros? Essa para mim é a parte mais importante. Este estilo de mentalidade prega que criemos nossos filhos para serem resilientes. Errar faz parte do jogo e o importante é aprender com cada erro. A ideia é fazer com que eles não tenham medo de se arriscar e também não tenho vergonha quando errarem, azar de quem só quer fazer o que tem certeza que vai dar certo.

Ainda nessa linha da resiliência, temos o que chamamos de inveja branca. Quando seu filho achar uma criança que faz algo que ele ainda não faz, qual é a reação que queremos? Despeito ou aquele brilho no olhar de admiração pelo que o outro já consegue? Imagina se em vez dele ficar bravo, ele chegar na outra criança e tentar aprender com ela? Agora imagine se todos os adultos que a gente conhece pensassem assim?

Para fechar, porque já está muito maior do que deveria. Um pouco acima eu citei que devemos aprender com cada erro. Essa frase é bem batida, mas continua sendo importante. Aprender com cada erro, não significa que você vai acertar de segunda. Pode significar que você vai errar diferente de segunda, depois de terceira e por aí vai. Isso também é ter um growth mindset, não aceitar que só existe aquele de jeito de errar :). 

Gostei muito desse tópico e tento trabalhar isso com Betinho todos os dias. Não vou dizer que é fácil, somos apaixonados por nossos filhos e queremos dizer o tempo todo que eles são especiais e que conseguem fazer tudo. Eu luto diariamente para não ir por esse caminho.

Como é de praxe, tudo que eu disse é baseado na minha experiência, não tem certo, nem errado :). Eu despertei para essa linha de pensamento quando eu aprendi a dançar(só o básico em), dado que pela definição de Larissa eu era um poste. Quando eu destravei isso em mim, percebi que realmente ter talento ou não era apenas um detalhe.

Alguns links que podem ser úteis para quem se interessar mais pelo assunto. Esse é um tema muito comum e você vai conseguir achar diversas referências em qualquer pesquisa.

https://hbr.org/2016/01/what-having-a-growth-mindset-actually-means

http://www.edweek.org/ew/articles/2015/09/23/carol-dweck-revisits-the-growth-mindset.html

http://mindsetonline.com/whatisit/about/http://www.braintrainingtools.org/skills/articles/why-are-children-more-creative-than-adults/

Anúncios

Autor: Alberto Souza

Desenvolvedor e Instrutor pela Caelum.

2 comentários em “Como você lida com a evolução do seu filho?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s